SOLOS

 

PEDRO CABRITA REIS   LUÍSA COSTA GOMES   JOÃO BOTELHO  NUNO CARINHAS   CARRILHO DA GRAÇA  2023

PAULO MOURA   RUI CHAFES   CARLOS MARTINS   RUI COELHO   MANUEL AIRES MATEUS    2024  

ANTÓNIO PIRES   HÉLDER CHAMBEL   MARIA JOSÉ FAZENDA  ANDRÉ GOMES  2025

ANA VIRTUOSO   ANABELA AFONSO.  STELLA BETTENCOURT.   ANA NEVES   CELESTE QUINTINO.  2026

 

Artistas plásticos, escritores, cineastas, encenadores, arquitetos, músicos, jornalistas, escultores, agentes culturais, psicólogos, designers, economistas, docentes universitários e outros, aceitaram o desafio e abandonaram as suas “zonas de conforto” e desvendam-nos uma parte da galeria pessoal dos eus, deixando-nos penetrar um pouco mais na sua complexidade, e com isso, vamos enriquecendo o conhecimento que construimos sobre eles.

Inaugurações em Janeiro, Fevereiro, Abril, Junho, Setembro e Novembro de cada ano.

 


Livro de Cabeceira, de Sei Shonagon,

Clássico da literatura japonesa, é, segundo Ivan Morris, tradutor do Livro de Cabeceira para inglês,"by far our most detailed source of factual material on the life of the time and also a work of great literary beauty, full of lively humor and subtle impressions of the world she lived in."

Escrito no século X, durante a permanência de Sei Shonagon, enquanto dama de companhia da imperatriz Theishi, na corte imperial de Heian Kyo, hoje Kioto, Sei Shonagon escreve segundo o estilo "zuihitsu", "the brush moving with the mind", daí resultando um livro intimista, sensível e duma tristeza suave e melancólica.

 

POLAROID -  A ESCRITA COMUM

Ao procurar encontrar uma "escrita comum", que fosse, simultaneamente, fácil e acessível, mas também com capacidade para "traduzir" pensamentos e emoções complexas, tendo como ponto de partida "the brush moving with the mind", ocorreu-nos uma frase de Walker Evans relativa à Polaroi

"It makes things awfully easy that thing pop up.

It reduces everything to your brain and taste"

Estava encontrada a escrita comum.


DONNA BASSIN

PROJETOS ESPECIAIS

SPECIAL PROJECTS